O MERCADO IMOBILIÁRIO DE PORTO ALEGRE

O MERCADO IMOBILIÁRIO DE PORTO ALEGRE

PortoAlegre

O mercado de imóveis novos, em obras ou prontos, de Porto Alegre encontra-se em um patamar saudável de estoque. Um dos mais importantes indicadores para avaliação do equilíbrio de mercado é a disponibilidade de oferta atual (estoque) sobre a oferta inicial (volume lançado). Os 5.589 apartamentos que estavam à venda no final de setembro/16 representavam apenas 21,3% do volume de unidades lançadas nos 294 empreendimentos imobiliários que ainda possuem unidades disponíveis para compra em Porto Alegre. Quando este percentual está no patamar entre 20% e 25% dizemos que o mercado esta equilibrado na relação entre demanda e oferta. Podemos afirmar que o nosso mercado imobiliário em Porto Alegre está saudável. Não significa que alguma tipologia em alguma região específica não possa apresentar uma oferta superior à demanda atual, mas analisar o específico para falar do geral, neste caso não faz sentido.

Outro indicador que evidencia como o mercado porto-alegrense está saudável é o baixo volume de imóveis prontos, porém novos, à venda. Se assumimos que, na média, um imóvel leva 3 anos para ser entregue, podemos dizer que o que foi lançado até setembro de 2013 está pronto. Isso representa apenas 33% do estoque atual na cidade. Hoje a média brasileira está próxima dos 40% e, em Curitiba, uma cidade similar, tanto em tamanho quanto renda, esse patamar passou os 50%. Além disso, de todos o montante de imóveis que foram lançados em 2016, mais da metade já foi vendido.

Um último indicador que gostaríamos de falar neste momento é o nível de preços. Porto Alegre apresenta o segundo maior preço por metro quadrado da região Sul do Brasil, em levantamento da BRAIN nas 35 principais cidades da região que representam pouco mais de 50% do PIB do Sul.

Sem título

Confira sobre o mercado imobiliária em Porto Alegre também na Revista Foxter Gallery

Lançado Padrão Internacional de Medição.

Um novo padrão que irá promover transparência e consistência ao mercado imobiliário foi
lançado mundialmente. O International Property Measurement Standard para imóveis comerciais (IPMS for Office Buildings) é o resultado de um esforço global para criar um método único, padronizado e uniforme de medição de propriedades comerciais.

As normas foram estabelecidas por uma coalização formada por mais de 55 organizações, entre elas Rics, SecoviSP, CB Richard Ellis, Cushman & Wakefield e Colliers que apoiam a padronização, garantindo uma metodologia única e coerente para uso em todo o mundo.

“Este é um avanço enorme para o Real Estate e a Rics está orgulhosa por fazer parte desde o início. Os membros da Rics desempenham um papel fundamental na implementação e
consultoria das melhores práticas para o mercado de propriedade em mais de 140 países pelo mundo. O IPMS irá garantir que avaliadores, clientes e empresas recebam informações consistentes, transparentes e que permitam comparações entre propriedades de qualquer parte do mundo”, afirma Sean Tompkins, CEO da RICS.

Para Claudio Bernardes, presidente do SecoviSP, “é fundamental que haja padronização e que todos Àfalem a mesma língua””. E acrescenta: “Um padrão de medida internacional comum irá impactar positivamente os mercados imobiliários em todo o mundo”.

O IPMS surgiu a partir da necessidade de padronização das normas de medição, em substituição as adotadas localmente, que muitas vezes são inconsistentes e confusas. Na Índia, por exemplo, as medidas de um escritório podem incluir áreas externas de estacionamento de veículos de passeio, enquanto na Espanha as medidas locais muitas vezes consideram espaços de lazer como área do escritório. Dependendo do padrão utilizado na avaliação, áreas equivalentes podem variar em até 24% ao redor do mundo, segundo pesquisa realizada pela JLL.

“Existe uma tendência mundial em cada mercado de buscar parâmetros para a definição melhor de sua área locável, preservando-se formas e normas locais. A ideia de se buscar uma uniformização das medidas de áreas locáveis com critérios definidos globalmente permitirá um enorme entendimento sobre diversos tipos de edificações, com uma comparação mais justa entre diferentes empreendimentos e principalmente um entendimento técnico maior de usuários e investidores”, afirma Walter Cardoso, Presidente da CB Richard Ellis no Brasil.

Estima-se que as transações de mercado de imóveis comerciais tenham movimentado US$1 trilhão mundialmente ao longo de 2013, de acordo com dados do Real Capital Analytics. O IPMS chega agora para fornecer dados consistentes de medição, que irão garantir a transparência nas negociações globais de Real Estate.

“Acho que o IPMS será muito importante para o mercado brasileiro no sentido de trazer mais transparência e comparabilidade com os mercados internacionais”, afirma Celina Antunes, CEO da Cushman & Wakefield para América do Sul.

O governo de Dubai já anunciou planos para adotar o IPMS como padrão oficial do país, em resposta ao crescimento da base de investidores internacionais atuando no setor de imóveis comerciais da cidade. Mais de cem empresas também já sinalizaram a intenção de utilizar o IPMS em suas transações.

“A padronização trará inúmeros benefícios para o mercado comercial. A maior transparência nas características físicas resultante da normatização do cálculo da área possibilitará maior assertividade na análise dos investimentos e na eleição de espaço para ocupação”, diz Paula Casarini, vice presidente da Colliers.

A RICS irá apresentar em breve o guia de orientação para a utilização do IPMS, com lançamento previsto para o primeiro semestre de 2015. Enquanto isso, a coalizão irá continuar a trabalhar na padronização de normas, com especial atenção para imóveis residenciais que deverá ser assinado no próximo ano.

Fonte: Diário do Comércio

CAMPEÃ DE VENDAS DE JULHO DESTACA MOTIVAÇÃO E ESTRUTURA DA FOXTER PARA ALCANÇAR BONS RESULTADOS

CAMPEÃ DE VENDAS DE JULHO DESTACA MOTIVAÇÃO E ESTRUTURA DA FOXTER PARA ALCANÇAR BONS RESULTADOS

CAMPEÃ DE VENDAS DE JULHO DESTACA MOTIVAÇÃO E ESTRUTURA DA FOXTER PARA ALCANÇAR BONS RESULTADOS

Campeã de vendas Julho/2014

A Foxter premia todos os meses seus campeões e destaques em vendas. Referente ao mês de Julho a campeã de vendas da Foxter foi Carla Buttner, que convidamos para falar um pouco sobre o seu trabalho e a percepção em relação ao atual momento do mercado imobiliário.

Conforme Carla, o mercado mudou muito nos últimos anos. Atualmente, tem-se um número menor de lançamentos, mas ainda com oportunidades a curto e médio prazo em todas as regiões da cidade de Porto Alegre.

Considera que conhecer bem o produto, é um diferencial: Há uma grande quantidade de imóveis, cada um com seus detalhes específicos, além de que, as técnicas e tecnologias utilizadas na construção, estão cada vez mais avançadas. É necessário que o profissional acompanhe esta evolução assim como a Foxter já vem fazendo, já que o cliente está cada vez mais exigente e conhecedor do mercado: fará a diferença a qualificação dos corretores no momento da compra.

Para Carla, a maior motivação para vender está no reconhecimento do cliente, a realização do sonho dele ou de sua família. Geralmente, após a venda, ela costuma receber e-mails informando que seu atendimento foi fundamental no fechamento da venda/compra do imóvel. O reconhecimento também retorna através de indicação para amigos e parentes dos clientes.

Para possuir relevância no trabalho, Carla estuda o mercado e os produtos, pois segundo ela, “não se vende um produto se não o conhece”. Para atingir os resultados conquistados, a empatia é um de seus aliados e costuma se colocar no lugar do cliente quando vai mostrar um imóvel. Acredita que se o cliente estiver realmente num momento de compra, irá realizar a venda e para aqueles que estão ainda pensando em uma possibilidade, faz de tudo para antecipar este momento e encorajar o cliente a realizar esta operação, tanto como necessidade de moradia como para ganho financeiro em um investimento.

“Todos que dedicarem-se e trabalharem, venderão. Não há imobiliária com esta estrutura e suporte no mercado” – diz Carla.

Nossa entrevistada possui 15 anos de experiência de mercado, mas afirma que nunca viu estrutura melhor do que a Foxter, que prima pelo profissionalismo, empreendedorismo e inovação, com o apoio técnico de gerentes e diretores, através de transparência, credibilidade e seriedade, solidificando e conquistando a confiança de seus clientes.

Para área de divulgação, avalia que o marketing é muito organizado e formatado, que criam atmosferas de venda. -“O foco, independente da mídia, tem que ser no melhor atendimento possível ao cliente, oferecendo ferramentas acessíveis e de fácil manuseio, resultado ligado as ferramentas de suporte”.

Após quase um ano de empresa, Carla conquistou resultados em tempo muito menor que em outras imobiliárias nas quais já passou, “porque na Foxter tudo em que se acredita, é possível”. E fecha a nossa entrevista com a frase: “Este é meu dia-a-dia: Trabalho + Foco = Bons Resultados”.

Carla Buttner

Como as medidas anunciadas impactam o seu bolso

Como as medidas anunciadas impactam o seu bolso

Como as medidas anunciadas impactam o seu bolso: Para impulsionar a economia, o ministro da Fazenda Guido Mantega anunciou na última quarta-feira (20/08/2014), novas regras que facilitam a compra do imóvel, dão mais opções de crédito para os consumidores e criam uma modalidade mais conservadora de investimento.

Um dos imóveis construídos pela construtora Casa Alta

Consumidor terá mais opções de linhas de crédito que utiliza imóvel como garantia.

Confira os principais impactos das medidas:

1) Compra do imóvel será menos burocrática e mais segura: 

Todas as informações de atos jurídicos que possam resultar em ônus sobre o imóvel serão concentradas na matrícula da propriedade.

Na prática, a regra elimina a necessidade de consultas a diversos cartórios e torna a compra mais veloz. Além disso, dá maior proteção ao comprado. Mas o impacto sobre os custos da compra será marginal, pois os custos com registro da propriedade e o Imposto de Transmissão sobre Bem Imóvel (ITBI) continuam altos e podem equivaler a 6% a 10% do valor do imóvel.

2) Investidor terá nova aplicação financeira

O ministro Guido Mantega também anunciou a criação das Letras Imobiliárias Garantidas para investidores mais conservadores. O novo título terá garantia dupla: tem a cobertura da instituição financeira que oferece a aplicação e a carteira das aplicações fica protegida em casos de liquidação do banco.

A aplicação terá isenção de Imposto de Renda para pessoas físicas desde que o título tenha prazo médio acima de 2 anos.

3) Linhas de crédito com imóvel em garantia devem crescer

Parte dos recursos da caderneta de poupança aplicados no mercado imobiliário poderá agora ser usado para operações de crédito que tenham imóvel quitado como garantia. A expectativa do Ministério da Fazenda é que a medida pode gerar cerca de R$ 16 bilhões em novas operações. Com o aumento do volume e mais opções no mercado, os custos podem ser reduzidos para o tomador.

As instituições financeiras, além de mais recursos, terão mais segurança para oferecer esta opção, hoje incipiente no mercado. Isso porque será mais fácil transformar o imóvel em garantia. A linha pode ser utilizada para qualquer finalidade, como abrir um novo negócio. A regra será implantada por resolução do Conselho Monetário Nacional.

4) Trabalhadores da iniciativa privada devem ter maior acesso ao crédito consignado

Após edição de Medida Provisória, o trabalhador do setor privado que buscar o crédito consignado poderá autorizar a instituição financeira a debitar o valor da prestação simultaneamente ao crédito do salário em conta corrente.

Atualmente, o desconto é feito de duas formas: a empresa pagadora retém e depois repassa para a instituição financeira; ou o valor da prestação é debitado pela instituição financeira ao final do dia. Ou seja, as instituições financeiras terão mais segurança para oferecer a linha de crédito, hoje uma das mais baratas do mercado.

Em contrapartida, estes trabalhadores, que poderão melhorar o perfil de sua dívida em modalidades mais caras, como cartão de crédito e cheque especial. O limite de comprometimento da renda, de 30%, será mantido.

5) Inadimplentes podem perder imóvel de forma mais rápida

O governo também vai criar uma nova lei para facilitar a recuperação pelos bancos de bens utilizados como garantia em linhas de crédito ou financiados. O tomador irá autorizar no contrato de financiamento a recuperação expressa do imóvel em caso de inadimplência.

O banco não precisará de protesto para comprovação de inadimplência, que a partir de agora será feita por meio de carta registrada.

Fonte: Exame

Inauguração de Shopping Impacta a Valorização de Imóveis em Porto Alegre

Inauguração de Shopping Impacta a Valorização de Imóveis em Porto Alegre

94 shopping centers foram inaugurados no Brasil, nos últimos cinco anos. Ao final de 2012, já havia 457 empreendimentos em operação e a expectativa é que ao final de 2013 o número seja 498. E para saber como estes centros comerciais influenciam uma cidade, a Abrasce (Associação Brasileira de Shopping Centers) concluiu um estudo.

_porto_alegre_humaita_foxter_gremio_shopping_compra

(mais…)