Academia dentro do Empreendimento

Academia dentro do Empreendimento

Um dos principais requisitos na hora de adquirir um imóvel, passou a ser a presença de um espaço fitness para prática de exercícios. A preocupação crescente com a saúde e os bons hábitos vem mobilizando compradores e construtoras a buscar imóveis cada vez mais atrativos e alta qualidade.

shutterstock_561803470-min

Calcula-se que 20% dos moradores de condomínios utilizam a academia. E esse número vem crescendo com o passar dos anos, e ainda deve aumentar muito esse percentual. Então, a execução de um projeto com um espaço fitness se tornou de extrema importância na construção. E existem algumas preocupações básicas que você deve ter para isso.

No planejamento do projeto da sua academia, simples detalhes farão toda diferença, desde simples reformas, a pintura e o investimento em materiais novos e de qualidade. A construção de uma academia do zero, claro, fica mais fácil de planejar, mas é importante dar foco para a funcionalidade e estética do espaço desde o início.

shutterstock_374917516-min

Desenvolver um projeto bem pensado é fundamental para a prosperidade da academia. Indica-se escolher um espaço amplo, arejado e bem iluminado. A dimensão ideal varia de acordo com o número de usuários, podendo partir de 15m², onde já é possível montar um bom projeto. Em condomínios é importante fazer uma estimativa de quantos moradores utilizarão a academia para determinar a necessidade de espaço.

Também é importante definir os pontos elétricos, posicionamento de espelhos e ventiladores (condicionadores de ar), som, TV, armários e bebedouro, além da quantidade de equipamentos, que também influencia na disposição do espaço. Recomenda-se um distanciamento mínimo de 40cm entre as máquinas para maior conforto e segurança na utilização. E também o uso de piso emborrachado para evitar desgastes no chão, além de quedas e escorregões.

Na hora de determinar os equipamentos você deve levar em consideração as necessidades básicas de qualquer academia. Os equipamentos profissionais para utilização em academias têm um valor de compra mais elevado, porém atendem às demandas de uso e diminuem as necessidades de preocupação com custos de manutenções e danos que outros equipamentos podem desenvolver.

shutterstock_363373628-min

As principais máquinas, como esteiras, bicicletas, elípticos, estações de musculação e outros equipamentos desse perfil, possuem diferentes tamanhos e aplicações, que devem ser levadas em conta e planejados de acordo com o espaço e fluxo de usuários. Outros equipamentos como colchonetes, halteres, caneleiras, bolas, bancos, barras, suportes, etc, demandam atenção, mas sem grandes variações. É importante avaliar as necessidades de acordo com cada projeto.

Outra preocupação sobre os equipamentos é sobre a manutenção preventiva e de emergência. A garantia dos produtos e as manutenções devem ser analisadas e discutidas na hora da escolha, levando em consideração o número de usuários e frequência de utilização da academia. E para evitar maiores problemas, fique atento às instruções de uso e preste maior atenção aos equipamentos mais utilizados como as esteiras.

E com essas orientações sobre a montagem e planejamento de um projeto, fica mais fácil dar o pontapé inicial na execução da sua academia. Por isso é importante escolher um parceiro capacitado para auxiliar no planejamento e execução do seu projeto.

A ProSport conta com uma equipe com 10 anos de experiência de mercado vendendo e fabricando equipamentos de alta qualidade e tecnologia que garantem o conforto e segurança para os usuários do seu fitness center. Entre em contato com nossos consultores para saber mais e fazer seu planejamento da melhor forma.

Dicas para limpeza e manutenção de seu Sofá

Dicas para limpeza e manutenção de seu Sofá

Dicas para limpeza e manutenção de seu Sofá

O sofá ou a poltrona é um objeto caro e ao mesmo tempo um item muito usado na sua casa.

Por ficar na sala de estar na maioria dos lares, os estofados sofrem com o fluxo de uso pelos habitantes e visitantes da casa. Sentar ou deitar no sofá para ver TV, com o acompanhamento de alguma comida ou bebida, provoca acidentes que prejudicam o móvel. Saiba como controlar o desgaste de seus estofados.

 

É o marido que deita confortável para assistir à tv, o filho adolescente que senta com uma pizza na mão enquanto está lendo sua revista, ou ainda os filhos pequenos que adoram pular na poltrona macia, de sapato e tudo.

Veja nossas dicas para conservar a beleza e a vida útil de seu sofá:

– Não deixe o sol bater no sofá

Evite que o estofado permaneça em exposição direta ao sol ou sob alta luminosidade, para evitar a alteração de tonalidade do revestimento.

– Nada de pular na poltrona

Evite pisotear ou pular sobre o estofado, ou sentar nas braças. Estas atitudes poderão causar o rompimento da costura e/ou a perfuração do revestimento.

Perspectiva de Living do Porto Alegre Incomparável

– Proteja o estofamento

Use capas de sofá ou mande fazer outros forros para cobrir sua poltrona.

Você pode escolher mantas para cobrir seu sofá, junto com várias almofadas, dando um novo toque na decoração.

– Evite produtos químicos

Não utilize agentes químicos, tais como detergentes, álcool, thinner ou solventes na limpeza do estofado. A utilização destes produtos trará danos irreversíveis ao revestimento do estofado.

Como limpar sofá com estofamento em tecido

como limpar poltrona

Limpeza do sofá no dia a dia

Para a eliminação da poeira, use um espanador, ou uma escova com cerdas macias, ou o aspirador de pó de baixa rotação.

Para limpeza rotineira de estofados, forrações de parede, colchas e cortinas recomenda-se o uso de uma escova de cerda natural macia ou do aspirador de pó com a ponta tipo “vassourinha macia”.
A limpeza deve ser efetuada pelo menos uma vez por semana ou sempre que necessário.

Como tirar pelos e cabelos da poltrona

Use rolos adesivos especiais para tirar pelos de roupas e tecido.
O que mais se encontra no mercado é o rolo de folhas adesivas tira-pelos.
Você vai trocando a fita adesiva à medida que ela fica saturada de pelos.

Claro que você pode improvisar em casa uma forma de tirar cabelos do sofá:
Uma fita plástica adesiva é uma excelente ferramenta para quem quer retirar pelos de animais de estofamentos e tecidos em geral.

Enrole um pedaço de fita adesiva larga em volta de seus dedos, com a parte colante para fora, depois pressione os dedos contra o tecido, repita o movimento em toda a área.

Quando sentir que a fita não tem mais efeito, troque por um novo pedaço e continue.

Manchas na poltrona – o que fazer?

manchas no sofá

Em caso de necessidade de se retirar manchas, usar um pano limpo, esponja ou papel absorvente, sem comprimir o tecido, o mais rápido possível.
Assim que tiver absorvido a mancha, deixe ainda um pano seco sobre o tecido para continuar absorvendo.

Se sua poltrona tiver ficado com uma mancha você pode tentar remover a mancha da seguinte maneira:

Para limpeza dos tecidos use pano úmido com sabão de côco, os tecidos de poliéster e lã poderão ser lavados, já os de poliuretano só poderão ser limpos a seco.

Mas cuidado: ao colocar um pano úmido em um sofá usado você poderá criar uma nova mancha onde molhou a poltrona.

Também correndo o risco de criar uma nova mancha, você pode tentar também líquidos de limpeza a seco para sofás que são encontrados nos bons supermercados.

Para não causar danos irreversíveis aos tecidos, evite o uso de qualquer produto químico, principalmente à base de cloro.

A solução mais certa é procurar pelos serviços de lavanderias profissionais especializadas em limpeza de tapetes e estofamentos.

Dicas de limpeza de capas de sofá

– Caso sua capa de sofá tenha sido comprada já pronta, verifique na etiqueta do tecido se ele pode ir para a máquina de lavar e quais os requisitos.

– Dê preferência ao controle “modo delicado” no ciclo de lavagem de sua lavadora.

– Evite água quente.

 

Fonte: Faz Fácil

Os diferentes métodos de construção para prédios residenciais

Os diferentes métodos de construção para prédios residenciais

Você sabia? a construção do prédio em que você, sua família ou seus amigos moram pode ser de alvenaria tradicional, alvenaria estrutural ou pré-fabricados. Vamos te explicar um pouco de cada!

Se você está a procura de um apartamento para locação ou compra, é provável que se preocupará com itens como área útil, localização, divisão interna, número de quartos, banheiros e vagas de garagem. Apesar de muito importante na hora da escolha, esses não podem ser os únicos indicativos de qualidade de um imóvel. Antes de definir o apartamento, saiba com qual método de construção ele foi feito e examine quais as vantagens e desvantagens de cada um deles, de acordo com seu perfil e com o uso que pretende fazer do mesmo.

Alvenaria Tradicional

sistema-construtivo-de-alvenaria-estrutural

Trata-se do método de construção mais comum no Brasil. Neste modelo, são erguidas colunas e vigas sobre uma fundação que pode ser feita com estacas escavadas, para prédios mais altos, ou baldrames, para casas térreas. Nesse tipo de construção, as colunas e vigas suportarão toda a obra. Essa modalidade é caracterizada também por trabalhar com paredes de tijolos de barro, gesso ou blocos de cerâmica apenas para vedação dos espaços.

Entre as vantagens desse modelo estão a qualidade final da obra que, quando feita por profissionais capacitados, oferece muitas possibilidades de formatos e divisões. Além disso, a alvenaria bem feita é uma verdadeira garantia de durabilidade. Por se tratar do tipo de construção mais comum no Brasil, esta ainda é a modalidade preferida pelos brasileiros que, por força da cultura, costumam considerá-la a melhor e mais segura forma de construção.

Por outro lado, a alvenaria é uma modalidade passível de vários vícios construtivos, como desníveis, desaprumo, estruturas fora de esquadro, entre outros. Alguns pedreiros e mestres de obra simplesmente não dão a importância devida a esses itens, tendo que, no final da obra, corrigir erros comuns com “gambiarras”. Nesse método construtivo, toda a tubulação é implantada depois dos muros levantados, o que gera um desperdício irremediável de material já que, para isso, as paredes precisam ser quebradas e depois remendadas.

Quem opta por imóveis construídos sob essa modalidade tem a grande vantagem de poder alterar espaços e derrubar paredes, já que somente as colunas e vigas não podem ser alteradas. Se você pretende mudar a estrutura do seu apartamento, essa é a melhor escolha.

Alvenaria estrutural ou autoportante

alvenaria-estrutural

A adesão a esta modalidade construtiva cresce rapidamente no país. Trata-se de uma obra cujas paredes, construídas com blocos estruturais, são responsáveis por suportar toda a edificação. Nessa modalidade as vigas e colunas são dispensáveis, já que as paredes desempenham essa função.

Uma das vantagens desse método é a sustentabilidade da obra, já que a ausência de vigas e colunas elimina o gasto de boa quantidade de material. Além disso, é possível passar toda a tubulação por dentro dos blocos, fazendo com que não seja necessária a quebra das alvenarias para instalações hidráulicas e elétricas. Assim como na alvenaria tradicional, esta modalidade exige mão de obra qualificada para ter sua segurança atestada. Na modalidade autoportante, os edifícios não podem passar de 12 pavimentos.

A principal desvantagem do método é o fato de que a divisão do imóvel não poderá ser alterada, já que as paredes têm função estrutural e, com isso, não podem ser removidas. Caso esteja satisfeito com a configuração do apartamento, esse modelo construtivo não será um problema pra você.

Pré-fabricados

montagem-predio-pre-moldados

Modalidade pouco explorada no país, mas comum em imóveis do exterior, especialmente nas casas. Trata-se de uma estrutura montada dentro de uma fábrica e, depois de pronta, instalada sob uma fundação. Essas construções são erguidas módulo por módulo, como um grande quebra cabeças. A prevalência de materiais alternativos como madeira, por exemplo, é outra marca desse método.

A rapidez na montagem, a possibilidade de construção ininterrupta pelo fato de acontecer em ambiente fechado e não exposto a condições climáticas são as grandes vantagens da modalidade. Sua resistência também pode ser atestada nos países em que seu uso é comum.

Além de não ser tradicional no Brasil, uma desvantagem do modelo é a necessidade de manutenção constante, a plasticidade de design limitada e os custos adicionais. Apesar de a estrutura ser mais barata, é preciso contabilizar custos de instalação, manutenção e transporte da estrutura até o local definitivo. No caso de edifícios, outra desvantagem é a pouca experiência com o modelo. Mas, esta pode ser uma boa aposta para o futuro.

Conheça o “Epoxy”, o Porcelanato Liquido!

Conheça o “Epoxy”, o Porcelanato Liquido!

O piso da casa é algo muito especial. É algo que temos que decidir logo de início e que dá toda a graça do ambiente, quase uma das peças principais na hora de construir ou reformar. Mas e quando cansamos do mesmo piso? Mudar o piso todo é um trabalho enorme que consome muito tempo, dinheiro e agrega muitas dores de cabeça, não é?

Então, para evitar todo esse estresse e renovar aquela cozinha que você já está a tempos querendo mudar, apresentamos o Epoxy, também conhecido como Porcelanato Liquido.

01

O Epoxy é um sistema de impermeabilização que renova e dá brilho para seu piso! Dando um acabamento superliso e é simples de ser aplicado. Pode ser usado em pisos de ardósia, pedras, cimento e cerâmica, tanto em ambientes internos quanto externos e tem uma durabilidade entre 4 e 6 anos. Você encontra o Epoxy nas cores brancas, cinza e bege e pode usar de acordo com a necessidade do cômodo e na faixa de R$ 150,00/M².

image

Constituído por uma camada única e não apresenta juntas. Dessa forma, ele não retém bactérias e outras impurezas, facilitando o processo de limpeza.

Suas principais características são o acabamento perfeitamente liso, possibilitando a escolha de um aspecto brilhante ou fosco, e a vasta gama de personalização que oferecem, que vão desde cores e nuances mais variados até a aplicação de desenhos e imagens. É um piso de fácil manutenção, necessitando apenas de um pano úmido com detergente neutro para realizar a limpeza. Esse fato torna a aplicação do porcelanato liquido na cozinha uma opção muito atrativa para quem está querendo renovar o piso de maneira mais rápida já que dispensa a etapa de retirada dos azulejos antigos.

O porcelanato líquido é apto tanto para ambientes internos quanto externos, e devido a sua grande resistência pode ser aplicado em ambientes úmidos, como cozinhas e banheiros, e de alta abrasão como a garagem por exemplo. Com o piso epóxi mudar completamente a decoração do banheiro pode ser mais simples já que a resina é aplicada diretamente sobre a cerâmica antiga. O banheiro de estilo moderno e minimalista com banheira de marmore e box de vidro escuro recebeu piso de porcelanato líquido branco em toda a sua extensão, incluindo área da ducha.

Fonte: Porcelanato Liquido

Economize na Conta da Luz Destacando a Decoração

Economize na Conta da Luz Destacando a Decoração

Economize na Conta da Luz Destacando a Decoração

Economia e Eficiência. Provavelmente não são as primeiras palavras que vêm a sua mente quando você pensa em comprar lâmpadas para iluminar sua casa. Geralmente você está pensando em beleza e destaque para sua decoração ou ainda em deixar a casa clara e bem iluminada.

caribe-rossi-sala
A iluminação do Living embeleza o decorado do Rossi Caribe, parte do bairro planejado Rossi América.

A eficiência de uma lâmpada é a maneira como ela consome energia elétrica.
Nas lâmpadas incandescentes e halógenas, 80% da energia utilizada é transformada em calor e apenas 15% gera luz. Toda esta energia transformada em calor é lançada no ambiente, causando aumento da temperatura e desconforto.

economia de luz

Lâmpadas incandescentes e halógenas estão ultrapassadas.

As lâmpadas fluorescentes e as fluorescentes compactas (Energy Saver – economizadoras de energia) tem outra maneira de funcionar, produzindo mais luz e emitindo pouco calor.
Então, podemos dizer que uma lâmpada é mais eficiente à medida que a maior parte da energia consumida por ela é destinada à produção de luz.

Utilize em luminárias embutidas ou spots as lâmpadas incandescentes refletoras, que possuem o facho de luz dirigido, com maior aproveitamento da luz produzida e direcionando o calor gerado para o facho de luz, não causando superaquecimento na luminária.

Outra opção seria utilizar lâmpadas fluorescentes compactas sem o reator integrado, para melhor aproveitamento físico da luz produzida, ficando sobre o forro, o reator.

Economia

Pinte o teto e as paredes internas do ambiente com cores claras, pois estas refletem melhor a luz, diminuindo a necessidade de iluminação artificial, economizando assim energia elétrica. Estima-se que a iluminação seja responsável por uma pequena parcela do consumo de energia do lar (entre 10% e 20%). Porém esta parcela pode ser ainda mais reduzida com a troca das lâmpadas convencionais por lâmpadas de alta tecnologia.
Isso sem nenhum prejuízo no nível de iluminação e com uma série de benefícios, como por exemplo: a redução do volume de calor lançado no ambiente e a diminuição da troca de lâmpadas, pois elas além da economia no consumo, duram cerca de 6 a 10 vezes mais que as incandescentes.

Dicas:

– Limpe regularmente as luminárias e as lâmpadas, pois o acúmulo de pó, com o tempo, reduzirá a iluminação do ambiente.

– Dê preferência às lâmpadas fluorescentes compactas ou circulares nos locais em que elas fiquem acesas mais de 3horas por dia.

– Evite acender lâmpadas durante o dia. Use melhor a luz do sol, abrindo bem as janelas, cortinas e persianas.

– Use iluminação dirigida (spots) para leitura, trabalhos manuais e outros, para ter mais conforto e economia.

-Coloque mesas, lugares de leitura ou trabalho perto das janelas.

-Apague as lâmpadas dos ambientes desocupados.

– Antes de comprar, pesquise pela internet. Procure as sugestões de sites dos fabricantes, para que possa saber mais sobre uso, instalação, consumo e potência.

– No momento da aquisição de um novo aparelho de iluminação exija o Selo Procel de Economia de Energia, dando preferência aos mais econômicos.

– Em sua próxima compra, verifique e prefira lâmpadas de alta eficiência luminosa (Lm/W), ou seja, lâmpadas que produzem mais luz com menor consumo de energia elétrica.

fluorescentes compactas

Lâmpadas fluorescentes são econômicas e iluminam melhor.

Utilizar lâmpada de 220V na tensão 110V economiza energia?

Para qualquer lâmpada Incandescente, a saída de luz, potência e o tempo de uso dependem da tensão na qual a lâmpada é operada. Portanto, não, você não estará economizando energia. Pelo contrario, o resultado final seria menos luz e custo mais alto.

Concluindo, se a preocupação é apenas com o consumo de energia, estaríamos gastando 26W, para ter a luz de uma lâmpada de 15W, ou seja estaríamos desperdiçando cerca de 11W.
Portanto, se o nível de iluminação está adequado às suas necessidades e a lâmpada está em local de fácil acesso, poderá economizar muito mais trocando a lâmpada de 60W 220V para uma de 15W 127V. Evidentemente, trocando por uma fluorescente compacta de 7W irá obter mais luz e economizará ainda mais.

Fonte: Faz Fácil

Vital em edifícios, o elevador é um problema para muitos deles.

Vital em edifícios, o elevador é um problema para muitos deles.

Quem é morador de prédio sabe bem que, se o elevador quebra muito, a vida em condomínio vira uma tormenta.

E não é à toa que a renovação do equipamento seja uma demanda dos moradores, que pensam em dar cabo dos problemas e valorizar a área comum do edifício.

“É comum ver o pessoal querer uma modernização, mas só embelezar. Colocam aço escovado, mármore, sem mexer no cabo, na tração”, diz Sérgio Meira de Castro Neto, diretor de condomínios do Secovi-SP (sindicato do mercado imobiliário).

Quando se trata apenas de preservar o elevador, uma boa manutenção é essencial. Ela deve ser realizada por firma especializada, pelo menos uma vez por mês.

E, muitas vezes, o que era para ser mais uma rotina acaba encrencando a gestão do edifício. O serviço pode prever contratos de fidelidade aos condomínios e restrições de cobertura de peças, cujo custo recai sobre o morador.

CONTRATO

Para entrar em operação, todo elevador precisa ter um alvará de funcionamento e um contrato de conservação em vigor.

Por isso, quando um imóvel novo é entregue, o contrato, em geral de até um ano, já está fechado entre a incorporadora e a fabricante, que se torna a responsável pela manutenção do equipamento por esse período.

Para o diretor da administradora de condomínios Manager, Marcelo Mahtuk, esse primeiro contrato costuma ter valores inflados, dando margem para os moradores negociarem uma redução. “Costuma dar resultado”, diz ele.

As opções de contrato são de conservação, sem cobertura de peças, e de manutenção, que envolve a cobertura (parcial ou total). A escolha depende da realidade econômica de cada condomínio e do estado do elevador.

 

O síndico profissional Nilson Soares já teve problemas com 'gambiarras' em serviço de manutenção de elevador

O síndico profissional Nilson Soares rescindiu um contrato por causa de ‘gambiarras’ em serviço de manutenção de elevador

Em um condomínios administrados pelo síndico Nilson Soares, o contrato foi fechado sem cobertura de peças. Como o edifício é novo, em tese, levará mais tempo para as reposições.

Saiu por R$ 12 mil por mês, sem cobertura, em vez de custar R$ 30 mil. Contra imprevistos, o condomínio, arrecada outros R$ 3.000, destinados a eventuais reposições.

Nem sempre o preço mais baixo é bom negócio, porém. Soares diz que, em outro conjunto residencial, a conservadora, que era também a fabricante do equipamento, cobrava R$ 13 mil mensais.

Ela foi trocada por outra, com custo de menos de R$ 4.000 por mês, mas que fazia muitas “gambiarras”.

Chegou um momento em que a recém-contratada não conseguiu mais consertar o elevador, o contrato foi rescindido e o condomínio recorreu de novo à fabricante. O conserto de três elevadores saiu por cerca de R$ 300 mil.

Um momento em que os elevadores costumam apresentar falhas é logo depois da entrega do empreendimento, devido ao acúmulo de poeira e à infiltração de água.

Por isso, segundo Flávio Braga, engenheiro da construtora Marques, é recomendável os moradores protegerem o equipamento nesse período e, após a fase de reformas, fazerem uma limpeza técnica das instalações.

Em caso de parada fora do local programado, as pessoas não devem tentar sair sozinhas, pois o elevador poderá prensá-las, caso se movimente de repente. O resgate só pode ser feito pelos Bombeiros ou pelos profissionais da firma que faz a manutenção.

“Acidente de elevador é muito menos raro do que se imagina”, diz Sérgio Meira de Castro Neto, do Secovi-SP.

ESCOLHA

Na hora de decidir por uma empresa de conservação, é preciso ter certeza de que ela vai atender aos chamados com agilidade, se tem as peças para reposição e se presta uma boa manutenção.

Especialistas recomendam pedir uma extensa lista de condomínios à empresa e visitar alguns deles. Assim, reduzem-se as chances de ela indicar apenas prédios que a avaliem bem.

Na cidade de São Paulo, segundo o decreto 33.948/94, é obrigatório o serviço de conservação mensal. Já a lei 10.348/89 obriga a vistoria anual. 10.348/89 obriga a vistoria anual.

Affonso/Editoria de Arte/Folhapress

Fonte: Classificados Folha