Medo da bolha imobiliária?

Medo da bolha imobiliária?

Medo da bolha imobiliária? A inadimplência pode te controlar. O crédito imobiliário está absolutamente controlado, de acordo com Octavio de Lazari Junior, presidente da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip). Ao final de junho, o índice de calotes, considerando atrasos acima de 90 dias, ficou em 1,8%, 0,1 ponto percentual acima do visto ao final de 2013, conforme dados da associação.

Parcão

Parcão (Photo credit: Gijlmar)

“O brasileiro é muito consciente para comprar imóvel e dá bastante entrada. Isso explica por que a inadimplência no Brasil é tão pequena. Ao dar 30%, 40% de entrada na compra de um imóvel, a chance de deixar de pagá-lo é muito pequena”, destacou o presidente da Abecip, na manhã desta quinta-feira, 24.

O montante do financiamento face ao valor de avaliação do imóvel (LTV, na sigla em inglês) ficou em 65% ao final de junho ante 61% em 2010. O indicador, conforme Lazari Junio, comprova a perenidade do setor.

Sobre o funding para o financiamento imobiliário, ele disse que há volume de recursos suficiente para sustentá-lo com tranquilidade até o final do ano que vem, citando o desempenho de captação da poupança, cujo saldo está em R$ 490 bilhões. Há ainda, conforme o presidente da Abecip, fontes alternativas como letras de crédito imobiliário (LCI) e de certificado de recebíveis imobiliários (CRI), que, somados, alcançaram R$ 170 bilhões ao final de junho de 2014.

Fonte: Estadão

Não tem Bolha! Parte 3 Mercado Imobiliário no Brasil

Não tem Bolha! Parte 3 Mercado Imobiliário no Brasil

Não tem Bolha! Parte 3 Mercado Imobiliário no Brasil

Não tem Bolha! Parte 3 Mercado Imobiliário no Brasil: O valor de um imóvel por m² vendido no Brasil está proporcional ao seu PIB (segundo dados de 2012), juntamente com o percentual médio de financiamento, chegando em 2014, no primeiro semestre, a 64%. Comparando com o ano de 2013, o percentual médio de financiamento foi de aproximadamente 65%, durante todo o ano. Chegando-se a conclusão de que há um melhoramento bastante visível; em 2014, nos primeiros 6 meses, já temos o percentual de todo ano de 2013. Estamos utilizando apenas 8,2% de concessão de crédito imobiliário em relação ao PIB.

Diferentes pesquisas realizadas em 10 cidades da região Sul avaliaram que:

– na média, 95% das pessoas que buscam imóveis, o fazem para USO PRÓPRIO;

– de quem busca para INVESTIMENTO, 80% pretendem LOCAR;

– na média, apenas uma pessoa em cada cem, tem intenção original de revender o imóvel;

– entre 2009 e 2011, o número de famílias que desejavam adquirir um imóvel, teve um aumento de 125%;

– em 2013, o Brasil teve como menor índice de inadimplência do mercado: o financiamento imobiliário, com 1,6% apenas;

– 16% das famílias pagam aluguel: 57,3 – total de famílias – destas, 9,2 ainda pagam aluguel.

Estes dados comprovam que a expansão da concessão de crédito possui muito espaço ainda para o crescimento, frente às riquezas produzidas no país e a uma grande proporção de entrada, segundo a base de dados de percentual médio de financiamento, citada acima.

Por dados de mercado, sabe-se que países que possuem este percentual de financiamento acima de 40% devem encarar esta questão com outros olhos.

Fonte: Consultoria Brain