Mês: dezembro 2012

Brasil vive momento favorável para talentos da arquitetura

O país e principalmente o Rio de Janeiro vivem um momento propício para o surgimento de novos talentos da arquitetura, na opinião de especialistas ouvidos pelo Globo. Para o presidente da regional Rio da Associação Brasileira de Escritórios de Arquitetura (Asbea-RJ), Vicente Giffoni, o período de crescimento econômico traz a oportunidade de projetos mais ambiciosos, que podem dar visibilidade aos profissionais que estão surgindo. – Este ano, tivemos no Rio seis milhões de metros quadrados de novos projetos em imóveis, o que não acontecia desde 1982, quando tivemos cinco milhões e meio de projetos para imóveis. Passamos por uma lacuna após a construção de Brasília em que até surgiram bons nomes, mas não havia tanta oportunidade – afirmou Giffoni, destacando o projeto de revitalização da Zona Portuária como um dos exemplos recentes de grandes intervenções. Apesar de ressaltar que nomes como Oscar Niemeyer e Lúcio Costa são únicos na História, a vice-presidente de Relações Institucionais do Departamento Rio de Janeiro do Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB-RJ), Fabiana Izaga, concorda que a realidade atual no país é propícia para a consolidação de novos arquitetos. – A questão não é só o surgimento de talentos, mas também um mercado de qualidade que possa absorvê-los. E para isso é necessária uma condição econômica favorável, o que temos no momento. Mas nomes como Oscar Niemeyer, Burle Marx e Lúcio Costa não aparecem...

Continue Lendo...

Tendência handmade leva uma influência da moda para a decoração

Ambiente de Estela Netto na Casa Cor 2012. Plantas e objetos, como o sofá de linho e o tapete de fibras naturais, artesanais valorizam e resgatam a cultura, tornando o espaço mais charmoso Com o conceito handmade, peças artesanais voltam a ganhar espaço na decoração, agregando exclusividade e aconchego aos ambientes do imóvel. Atenta a essas vantagens, a arquiteta Estela Netto recorreu a essa ideia em um de seus projetos, o que o deixou personalizado e rico em detalhes. O handmade, do inglês “feito à mão”, é um conceito utilizado no universo da moda há algum tempo e que agora está ganhando espaço também na decoração. A prática propõe peças produzidas e customizadas de forma manual, o que as tornam exclusivas e cheias de personalidade, denotando ainda as raízes culturais do local onde foram confeccionadas. Hoje em dia, em que todos buscam formas de se diferenciar, a exclusividade é algo muito valorizado no imóvel. Com o handmade, as pessoas conseguem dar aos espaços um toque de personalização, tornando-os singulares. Além disso, por meio desse conceito, dá ainda para levar um pouco do artesanal para dentro do lar, o que acaba sendo também uma forma de contribuir com a sustentabilidade, outra preocupação recorrente de indivíduos e empresas. “A busca pelo que é artesanal, singular, é muito forte. Na decoração, essa procura pelo que é natural, sustentável, pode ser atendida com...

Continue Lendo...

Casa concebida em antigo contêiner é exemplo de sustentabilidade

O projeto de uma casa de hóspedes localizada em San Antonio, no Texas, EUA, surgiu da vontade de vivenciar formas alternativas de se construir um espaço que tivesse aconchego e aliasse despojamento e respeito ambiental. Assim, a casinha, que tem área de aproximadamente 30 m², foi instalada em um antigo contêiner de transporte marítimo. A obra da Guest House partiu do desejo da proprietária do terreno, que mora em uma casa adaptada em um galpão industrial, situada a menos de 50 metros dali. A concepção da construção é de autoria do escritório Poteet Architects, conhecido por reutilizações adaptativas e sensíveis de edifícios existentes. A casa contêiner serve ao mesmo tempo para acomodar as visitas e para ser um recanto confortável para a família desfrutar uma tarde de sol, por exemplo. Mesmo com pequenas dimensões, a casinha é totalmente funcional, incluindo ar-condicionado, chuveiro, uma pia em inox e banheiro seco, à base de compostagem, tudo seguindo os preceitos da sustentabilidade. A questão da preocupação com a natureza, aliás, também aparece nos outros componentes da proposta. Para a cobertura, foi especificado um telhado verde, que controla as temperaturas internas, deixando-as sempre agradáveis, e é irrigado com o reaproveitamento da água vinda da pia e do chuveiro. A fundação do contêiner é feita de postes telefônicos reciclados, e discos de arado de trator, comumente encontrados no sul do Texas, serviram de base...

Continue Lendo...

Prédio que toca música atrai turistas na Alemanha

Um prédio na Alemanha se tornou uma grande atração que tem sido responsável pela visita de inúmeros turistas na região. Projetado com um intrincado sistema de drenos e funis anexados na parede externa, o imóvel toca música toda vez que o tempo fecha. Os curiosos não se importam com o clima ruim e enfrentam a chuva para assistir ao espetáculo do edifício musical, localizado em um bairro de Dresden. Algumas fotos do prédio musical: Toda revestida de funis e canaletas de aço, a fachada transforma o som da água em música. Além de criar um efeito mágico nos dias chuvosos, o edifício chama a atenção dos curiosos por sua beleza colorida e pela criatividade da proposta também nos dias ensolarados. Criado pela escultora Annette Paul e pelos designers Christoph Rossner e André Tempel, o imóvel faz parte de um projeto artístico intitulado “Pátio de Elementos”, que inclui também um prédio de fachada amarela concebida em painéis de alumínio que representam a luz, e outro edifício verde adornado com girafas e macacos que fazem alusão aos animais. Na cidade, há um total de cinco imóveis integrantes do projeto, incluindo ainda um “pátio das metamorfoses” e outro “pátio das criaturas míticas”. A inspiração da parede de canto veio da casa de um dos autores em São Petersburgo, onde era possível ouvir os sons teatrais que a chuva produzia nas tubulações, como...

Continue Lendo...

Facilidade na compra de carros amplia necessidade de vagas de garagem

Renda maior e facilidade para financiamento justificam famílias com mais de um carro e a necessidade de uma segunda vaga de garagem nos empreendimentos. E quando o veículo é de modelo maior, áreas amplas são exigências do comprador. Atentas ao mercado, as construtoras contemplam essas mudanças em seus projetos. “Para se ter uma ideia, um dos nossos projetos, o Jadi Melo, no Pina, das 60 unidades, apenas quatro delas têm uma vaga de garagem. Dessas, só duas foram comercializadas até o momento,” confirma o diretor comercial da Renel Empreendimentos, Diogo Melo. O engenheiro Luiz Horácio Angeiras, responsável pela obra, explica que os projetos das garagens já são arquitetados visando espaços maiores para os carros. “A adequação é feita visando a disponibilidade de duas vagas por apartamento, embora a dimensão mínima legal de cinco metros de largura por 2,2 metros de comprimento tenha que ser seguida.” O tamanho mínimo para garagens em unidades habitacionais é estipulado pela Lei de Uso e Ocupação do Solo do Recife (Lei 16.176/96). Marcello Gomes, sócio-proprietário da Construtora e Incorporadora Nassau, afirma que as adequações do mercado imobiliário acabam impactando nos custos das empresas e, consequentemente, no bolso do consumidor final. Uma vaga a mais na garagem pode significar um acréscimo de R$ 40 mil no preço final do imóvel, segundo cálculos de Diogo Melo. “A frota de carros dobrou em muito pouco tempo e...

Continue Lendo...